27 janeiro 2010

Conexões – Abraços Partidos e Fellini 8 e ½.














No final do ano passado o site de relacionamento “The Auteurs”, voltado para cinéfilos, cansado de Top List típicas do final de ano, propôs algo diferente: que cada usuário citasse dois filmes que tivesse qualquer conexão entre eles. A conexão ficava a gosto do freguês. Muitos se arriscaram e foram formados pares como: A saga Crepúsculo (Catherine Hardwicke) e Drácula de Bram Stoker ( Francis Ford Coppola); Up, Altas Aventuras (Pete Docter, Bob Peterson) e Os guarda-chuvas do Amor (Jacques Demy) e Bastardos Inglórios (Quentin Tarantino) e The passion of Joan of Arc ( Carl Theodor Dreyer). Como você pode perceber o céu é o limite para a criatividade das conexões.
Pois eu me arrisquei e fiz a conexão entre “Abraços Partidos” (Pedro Almodóvar) e “Fellini 8 e ½” (Federico Fellini).

Sobre diretores:
Ambos os filmes são sobre diretores. No caso de “Abraços Partidos” o personagem já foi um diretor de cinema e após um acidente que o deixou cego, torna-se escritor de roteiros. Entre um fato e outro existe uma história que envolve uma atriz e seu marido ciumento e uma amor impossível. “Fellini 8 e ½” conta a história de um diretor sobre pressão enquanto tenta realizar seu próximo filme. Ele vive as voltas com produtores, atrizes, amantes, figurantes...Todos estão enlouquecendo-o.

Vindos de um grande sucesso:
Almodóvar antes de “Abraços Partidos” filmou “Volver”, considerado um dos seus melhores filmes da sua nova fase. Uma fase mais séria do que a de “Mulheres à beira de um ataque de nervos” ou “Kika”, mas não menos colorida. A expectativa sobre o que vinha a seguir era grande. Assim aconteceu com Fellini que tinha acabado de rodar o seu grande clássico “La Dolce Vita” de 1960. Então foi sobre isso que Fellini, genial como sempre resolveu filmar. O diretor vivido por Marcello Mastroianni tem um total bloqueio sobre o que filmar e vai levando, meio ao acaso como muitas vezes o próprio Fellini fazia. Os críticos não foram muito receptivos a “Abraços Partidos”, mas em relação a “Fellini 8 e ½” a crítica foi unânime: o diretor italiano havia criado mais um clássico para a sua filmografia. Há quem diga que Pedro Almodóvar costuma alternar um filme ruim com outro excepcional, será?


Referências à seus próprios filmes:

 Os exemplos são incontáveis. Em “Abraços Partidos” temos de referência à “Mulheres à beira de um ataque de nervos”, nos Gapachos envenenados que Penélope Cruz prepara no filme dentro do filme e seu nome “Chicas y maletas”. E ainda tal maleta cheia de dinheiro, o nome do marido infiel Ivan e a participação especial de Rossy de Palma. Temos a cena com Chus Lampreave, colaboradora de longa data de Almodóvar em filmes como “O que eu fiz para merecer isso?” de 1984, “A flor do meu segredo” de 1995 e mais recentemente “Volver” de 2006. É inegável a semelhança entre o ator Tamar Novas com Antonio Banderas, o qual Almodóvar projetou para o mundo. Além das drogas, da vida noturna, das cores fortes, amores dramáticos e na paixão pelo cinema. Tudo está lá.


Em “8 e ½” o nome do filme é o número de fitas dirigidas pelo Fellini segundo o próprio. Ele considerava que havia feito na vida exatamente 8 filmes e ½. A cena logo no começo da história, na qual um produtor cometa as anotações do personagem principal para o roteiro filme, na verdade ele lê uma crítica duríssima que foi feita a “La Dulce Vita” na época. Logo depois temos a atriz da famosa cena da fonte, Anita Ekberg se aproximando de Mastroianni perto de uma...fonte! Temos as memórias de Fellini e de sua infância ao longo de todo o filme e como não pode faltar, tem que ter o mar e tem que ter o circo. Tudo lúdico e com figurantes extravagantes como é do feitio do diretor.

Deixaram suas marcas no cinema:
Poucos diretores viram seus nomes virarem verbo que significa um modo singular de filmar. Um estilo. Quem já não ouviu falar de um filme “Hitchcockiano”. Com Almodóvar reconhecemos suas marcas e idem com Fellini. Ambos são ícones do cinema não importa quanto tempo passe. Eu como cinéfila tenho grande admiração por ambos. E mais uma marca em comum: são filmes sempre com um toque de humor, com um jeito de encarar a vida de uma forma única. Lições de cinema, lições de vida.


O próximo nível: Nine
“8 e ½” inspirou o diretor Rob Marshall (“Chicago”) a realizar o musical Nine que estreou ano passado lá fora. Com Daniel Day-Lewis, Marion Cotillard, Penélope Cruz, Nicole Kidman e Judi Dench, conta a história de um diretor às voltas com suas mulheres. Uma atriz com ataques de estrelismo, sua mulher, sua amante. O trailer já começa com música em alto e bom som “Be itallian!” (Seja italiano!). O espírito de Fellini vive e sempre inspira. Só não vou fazer uma crítica completa aqui sobre Nine, pois há futuros posts Oscar 2010 que virão por ai.

Trailer de Nine.



Proponho a você, leitor do Jacaré que ao deixar seu comentário entre no espírito da brincadeira e faça a sua conexão também. Pode ser de qualquer tipo e nem precisa explicar, se não quiser! Se mesmo assim não quiser arriscar, o seu comentário sobre o texto será muito bem vindo!

Abraços de Jacaré!

10 comentários:

  1. Parabens para seu blog, muita informação sobre a setima arte, entre outros conteudos otimos, nota dez sem duvida.

    ResponderExcluir
  2. Vou entrar na brincadeira. E seguindo teu exemplo nao vou fazer relações obvias, ou filmes que foram usados como referencias para se fazer outro!

    Vou pegar Manhattan de Woody Allen e ENcontros e desencontros de Sophia Coppola.

    1-Ambos são comedias, se tivermos que enquadrar a categoria do filme seria comedia, pois o humor e olhar bem humorado permeiam os dois filmes.

    2- Dois homens de meia idade se envolvem com moças bem mais novas, enquanto o personagem de Allen concretiza o romance mas ao final acaba afastando o objeto do seu amor e se arrepende, o personagem de Murray não concretiza o romance com Scarllet JOhanssen, e ao fim tenta estabelecer um elo, que nunca saberemos ( pois dito ao pé do ouvido)
    3= um gosto agridoce ... embora comedia, o gosto que fica no espectador é agridoce, pois há uma beleza advinda de uma melancolia, um desencontro de ambos...
    4= a cidade é um personagem, em um caso oviamente Nova Yorque e no outro Tokyo, e em ambos os casos a cidade nao é real, surge idealizada... vista atraves de um olharamoroso do diretor, mais do qeu um pano de fundo real..
    5= Scarlet Jonson, não esta em Manhattan, apenas por uma questao temporal, pois futuramente acabou tornando-se uma musa de Allen..
    otima proposta
    Ibere

    ResponderExcluir
  3. Sensacional Ibere! Pegou o espírito da coisa. Adorei sua conexão! E o melhor foi Scarlet Johnson fechando o ciclo. Adorei!

    ResponderExcluir
  4. Interessantissima a idéia! Pra fugir do corriqueiro/habitual...
    Não sei se me arriscaria a fazer alguma conexão mas, já que é tudo informal, diria:

    "300" e "Tropa de Elite"

    Contextos de época totalmente diferentes ,porém, acha-se ai uma analogia interessante entre os propósitos...

    ResponderExcluir
  5. Nossa, que post interessante. Parabéns pelo blog, Taís. MUITO BOM!!

    Minha conexão cinematográfica é entre "Laranja Mecânica" e "Clube da Luta", dois filmes que fazem um retrato da violência vista sob a ótica de respectivas gerações que parecem não encontrar espaço no mundo em que estão inseridas.

    ResponderExcluir
  6. ótimo blog...
    curti pacas.
    Espero ver Abraços Partidos ainda essa semana

    ResponderExcluir
  7. Ola tudo bem?
    Tipo eu vi seu blog em uma comunidade resolvi da uma passadinha para conferi, mas tipo tenho uma dica para vc melhorar ainda mais teu blog, pq vc não passa ele para um dominio profissional gratis tipo o google indexa mais rapido vc ganha mais visitas e mais parceiros alem de ficar visivel mais facilmente no google buscas, si quiser tenho um tutorial aqui passo a passo: http://www.artilhariadigital.com/2009/11/tutorial-configurando-um-dominio-cocc.html

    ResponderExcluir
  8. Confesso que não vi Nine, mas algo me diz que não gostarei!

    muito bom seu espaço!
    sou novo seguidor já!

    ResponderExcluir
  9. Adorei seu texto!!! Excelente conexão!!! O que eu mais gosto do Almodóvar é o jeito que ele move a câmera!!! Bom, quanto a conexão vou colocar O Exército de Brancaleone e O Senhor dos Anéis.

    Sou sua nova seguidora assim como o Cristiano!!

    ResponderExcluir
  10. Gente valeu pelos elogios. Acho que muita gente gostou da brincadeira. Estou até pensando nas próximas conexões para não perder o hábito e talvez um concurso para as melhores conexões nos comentários...
    A conexão de Ibere já havia comentado que foi ótima.
    Quero destacar Gutt e Ariane com 300 e tropa de elite. Confesso que fiquei em casa pensando na conexão e achei várias muito legais. Boa dica. E também Kamila que tem um blog maravilhoso sobre cinema. A conexão dela foi Laranja Mecanica e Clube da Luta.

    ResponderExcluir

O maior prazer que um blogueiro é receber um comentário bacana. Não precisa puxar o saco se você não gostou, mas deixe seu ponto de vista numa boa. Comente, opine com respeito e fiquei a vontade para deixar o link do seu blog ou página! Abraços e volte sempre!

 
Click Jogos Online Resultado Loterias